Menu

Visite nossas redes sociais

Herói Anônimo(Milka Maya)

12 JUN 2018
12 de Junho de 2018

Caboclo mateiro, pescador

Navegador

Da várzea ou ribeira

Da ribanceira

Teu remo é espada cortante

Tua canoa desliza suave

Nas águas do meu rio-mar

 

Lagos igarapés, teus caminhos de sonhos

Tuas casas, marambas, flutuam

E se espelham nas águas

Atravessas restingas, vales, platôs

Resignado, voltas cantando

 

Apesar do cansaço

Depois de grande travessia

Volta ao regaço do teu tapiri

Caboclo forte e viril

Ainda tens tempo, tempo para sorrir

És o meu herói

És o meu herói

Caboclo forte, valente

És o meu herói

 

Que desafio

Quando somes na curva do rio

Enfrentando o sol ou tremendo de frio

São rasgos tão grandes...me dói

Caboclo forte, valente

És meu herói

És meu herói

És meu herói

Caboclo forte, valente

És meu herói

     A toada HERÓI ANÔNIMO, de autoria da professora Milka Maia.,  como em muitas toadas do Boi-bumbá de Parintins retrata a vida simples de um ribeirinho que vive da caça e da pesca., ÉUMA TOADA QUE BROTA DO CORPO E DA ALMA, DO JEITO DE AGIR E DE SENTIR como bem requer a CIÊNCIA DO FOLCLORE, pois se falava muito de maneira informal sobre a vida do caboclo.

        Na década de 80 e 90 a vida do caboclo foi um tema muito acentuado nas toadas de CHICO DA SILVA (É APRENDENDO A NADAR, A CAÇAR E A PESCAR QUE SE CRIA UM CABOCLO...), EMERSON MAIA (primo legitimo de Milka em sua belíssima SENHOR DA MAROMBA)... Mosquito carapanã, persegue até de manhã, a cobra e o gavião a lhe aporrinhar...), MARCOS SANTOS EM PARCERIA COM CHICO com a bela toadas OS PESCADORES (Lá vai Santarém, Porrotó, Luiz Gonzaga Pamin...)  e tantos outros compositores Parintinenses que se apropriaram dessa forma de fazer toada em meio as toadas de cunho indígena., como foi o caso de CESAR MOARES (pra mim, o mais caboclo de todos os atuais)., o grande e esquecido HORÁCIO e HELIOMAR CONCEIÇÃO COM O SEU “I TABUIO”) com toadas caboclas com forte apelo Amazônico retratando os costumes de nossos pais, avôs e tataravós falando sobre as PARAGENS, GEOGRAFIA DO LUGAR e muitos aspectos sócio-culturais em forma de poesia romântica e saudosista.

   A verdade é que HERÓI ANÔNIMO e outras toadas que enaltecem a vida do caboclo, seus costumes,  fizeram o mesmo sair do anonimato e valorizaram esse homem que exerce uma grande importância e influência na economia da região trazendo os produtos regionais  para as feiras das cidades e da capital que os faz chegar à mesa dos amantes desses produtos deliciosos que só quem é caboclo sabe o que é.

        O CABOCLO na toada de Milka não é apenas MATEIRO (cujo sentido é aquele caboclo que vive no mato, que faz a cultura do extrativismo a sua fonte de renda), MAS É TAMBÉM aquele homem simples, do interior que VIVE DA PESCA (pesca não predatória) para manter sua família. Ele faz uso de nossas estradas que é rio em meio À VÁRZEA E À RIBEIRA que na leitura de nosso grande escritor nortista NUNES PEREIRA É ‘’ESSE RIO QUE COMANDA A VIDA’’ do homem ribeirinho., REVELANDO-SE O GRANDE HERÓI.  

    Milka abusa de sua afetividade quando POSSESSIVAMENTE FALA: ÉS O MEU HERÓI porque quis homenagear seu irmão HERALDO MAYA que o chamava carinhosamente de ÍNDIO, CABOCLO DA AMAZÔNIA. Esse caboclo, como tantos outros SÃO CABOCLOS DA RIBANCEIRA: CABOCLOS QUE TEM UMA AFETIVIDADE COM A BEIRA DO RIO, seu habitat natural, seu ambiente de trabalho, de vida, de relacionamento de sobrevivência buscando a sua dignidade. Nas entrelinhas Milka quer nos dizer que O RIO AMAZONAS É UMA DÁDIVA PARA O CABOCLO, assim como O RIO NILO FOI UM DÁDIVA PARA O EGITO.

            A poetisa nos deixa claro que não existe mateiro, pescador ou navegador se não tiver um bom Remo cuja técnica de uso vem da forte herança indígena dos povos da Ilha Tupinambarana., ele precisa dominar essa técnica de usar o remo inclusive usando-a como espada cortante ajudando-o na pesca quando este for ARPOAR O PIRARUCU EM SUA CANOA SUAVE NOS LAGOS DA ILHA TUPINAMBARANA E NO CAUDALOSO RIO AMAZONAS.

                A Autora com muita propriedade fala nos Lagos (que são muitos ao redor de Parintins), igarapés (caminho de canoa),  locais esses que são caminhos de sonhos, pois levam o caboclo a  explorar para sobreviver e manter sua família, enfrentando o poraquê, a sucurijú, os desafios dos mitos e lendas que o rio e a mata escondem.

             A poesia enaltece a casa do caboclo que pode ser construída na beira do rio ou mesmo sobre as águas em forma de maromba, flutuando, usando esse panorama Amazônico como Espelho nas belas água do Amazonas continuando sua viagem entre restingas, vales e platôs e resignado volta cantando com muita alegria mostrando que apesar de sua vida ser uma vida cansativa ele tem  dentro de si a alegria de um caboclo que vive feliz em meio ao seu habitat natural.

                É por isso que Milka nos fala que apesar do cansaço depois de um dia em meio à mata, exposto aos insetos, sol, chuva e  depois de prosseguir em grande travessia no caudaloso Rio Amazonas enfrentando os banzeiros e os riscos que as grandes navegações oferecem., ele volta ao seu regaço  no seu tapiri (casa) que pode ser coberta de palha e sem paredes este caboclo forte, valente e viril  tem a VONTADE E A FORTALEZA DE SORRIR, DE VIVER FELIZ., ele É FORTE porque ele recebeu a energia da natureza, do cheiro do beiradão, das ervas e cipós, dos peixes que o alimentaram e irão alimentá-lo, das frutas  que alimentam os peixes nos lagos não havendo para ele crise e ainda tendo tempo, tempo pra sorrir..,por isso que esse caboclo que inspirou essa toada refletindo a vida de tantos outros caboclos Milka o chama afirmando duplamente  que És o meu herói, és o meu herói revelando-se um Caboclo forte e valente e repetindo que  és o meu herói. Herói de verdade porque consegue sobreviver em meio às adversidades que a natureza e a geografia do lugar oferecem., herói esse que nos dias atuais está em extinção sendo perseguido pelas madeireiras, pelos interesses de fazendeiros e latifundiários sendo ameaçado de morte e vivendo ameaçado com as doenças trazidas pelo homem que vive em centros urbanos.

                          Milka Maia encerra a toada com a expressão: Que desafio!... porque como já foi falado anteriormente é um grande desafio para o caboclo enfrentar os segredos e os medos que a floresta, os lagos, furos, igapós e várzea tem somente para si, segredos este como já disse o poeta Amazonense RUI DE CARVALHO; O RIO TEM SEGREDOS, TEM MEDOS QUE SÓ CONTA PARA O MAR. É um grande desafio este caboclo mateiro, pescador e navegador se embrenhar em meio às  curvas dos rios enfrentando o clima QUENTE E ÚMIDO,   O SOL E O FRIO AMAZÔNICO. Para ela são rasgos tão grandes...  que me dói..., mas esse caboclo forte é valente se transformou POSSESSIVAMENTE NO SEU HERÓI, por isso afirma peremptoriamente ÉS O MEU HERÓI, ÉS O MEU HERÓI  CABOCLO FORTE E VALENTE ÉS O MEU HERÓI, VERDADEIRO HERÓI.

           Essa toada do BOI CAPRICHOSO é de 1997 (esse ano de 2018 ela faz 21 anos COMPLETANDO A MAIORIDADE CIVIL) foi ricamente interpretada pelo nosso querido ARLINDO JÚNIOR e não há amante do Boi-bumbá que não se emocione quando a mesma toca na voz do POP DA SELVA., ele coloca a alma na música e temos o privilégio da mesma ter sido composta por uma mulher que tem a essência cabocla nas suas veias com ricas poesias (algumas publicadas e outras guardas,ainda não publicadas e com toadas que  nos dias atuais são barradas na seleção do Boi Caprichoso) pelos interesse de terceiros. Nessa época as toadas tinham no máximo 02 compositores e hoje em dia existem toadas com 06 compositores sem a mesma essência das antigas que eram compostas por 01 ou 02 compositores. Resta-nos a saudade dessa toada interpretada por um CABOCLO QUE TAMBEM É FORTE E GUERREIRO, HEROI DA NAÇÃO AZULE BRANCA cujo nome é ARLINDO JÚNIOR que luta para restabelecer sua saúde.

(Aqui., Arlindo encarna o PESCADOR DA AMAZÔNIA)

          Nós do Boi de Parintins, em especial do Boi Caprichoso devemos muito a ele por SER UM grande ÍCONE DA NOSSA BRINCADEIRA., e que hoje se revela em UM CABOCLO FORTE E VALENTE que de ANÔNIMO PASSOU A SER UM HOMEM DE GRANDE CARISMA AO CANTAR E DECANTAR A POESIA CABOCLA DO BOI CAPRICHOSO., É O NOSSO GRANDE HERÓI E QUE NA CERTA COMO UM CABOCLO MATEIRO, PESCADOR E NAVEGADOR SAIRÁ VITORIOSO.

Comentários: Arthur Cézar

Voltar




Rádio Toada - 2009-2018

Tenha você também a sua rádio